terça-feira, 24 de setembro de 2013

Relatividade de Einstein: equivalência massa-energia


A equivalência massa-energia, uma consequência importante da Teoria da Relatividade formulada por Einstein estabelece uma proporcionalidade entre massa e energia, isto é, quando uma cresce a outra cresce também e quando uma diminui a outra diminui.
Isso mostra que a massa nada mais é do que uma forma de energia.
Além de várias outras formas como: energia cinética, potencial gravitacional, química, elétrica e térmica, há ainda uma outra forma: a energia equivalente à massa, que fica aprisionada na própria massa do corpo.
Em síntese, a interpretação da equação nos mostra que mesmo em repouso um corpo apresenta energia, o que torna a energia de repouso de qualquer corpo muito grande.
De acordo com Einstein, a energia cinética (em particular a elevadíssimas velocidades) se transforma em massa e reciprocamente uma pequena quantidade de massa pode se tornar uma enorme quantidade de energia.

Equação:

E=mc²

Onde:
E = energia
m = massa
c = velocidade da luz no vácuo (arredondada para 300.000 km/s)

2 comentários:

  1. mas como um corpo (matéria) acelerando rumo a velocidade da luz aumentaria progressivamente a sua massa? Isso seria possível? Como? Essa dúvida vem desse texto da superinteressante que não explica muita coisa: http://super.abril.com.br/ciencia/nao-ir-mais-rapido-velocidade-luz-446470.shtml?fb_comment_id=fbc_10150127040633297_10152269253553297_10152269253553297#f23ba07068

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hudson! Isso acontece justamente porque energia e massa estão intimamente ligadas! Mas nota-se um maior aumento de massa apenas a enormes velocidades, como a da luz. No caso de grandes velocidades, as leis da mecânica de Newton não estão de acordo com os novos conceitos de espaço e de tempo. Só quando a velocidade é pequena e os conceitos clássicos de espaço e de tempo são válidos, a segunda lei de Newton:

      mΔv/Δt = F

      é verdadeira.

      Para velocidades grandes, esta lei na sua forma habitual não é verdadeira.
      De acordo com a Segunda Lei de Newton uma força constante, que atue no corpo durante algum tempo, pode transmitir-lhe uma velocidade tão grande quanto se queira. Mas na realidade, a velocidade da luz no vácuo é limitada, e em nenhumas condições um corpo pode mover-se com uma velocidade maior do que a velocidade da luz no vácuo. É necessária uma pequena mudança na equação do movimento dos corpos para que ela se torne verdadeira para grandes velocidades do movimento.

      Sugiro que leia este artigo sobre RELATIVIDADE RESTRITA:

      encurtador.com.br/pxS27

      Excluir