sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A morte do Sol

Como será a morte do Sol?

Apesar da extrema eficiência do processo de fusão nuclear (hidrogênio convertido em hélio) no interior das estrelas, sabemos que nada dura pra sempre.
À medida que passa o tempo, quantidades maiores de hidrogênio são transformadas em hélio. O Sol, por exemplo, já converteu 5% de sua massa total, e isso demorou 4,6 bilhões de anos, um tempo enorme. Porém, um dia irá faltar hidrogênio, e a estrela terá de começar a queimar hélio. Quando o hélio aumenta, a luminosidade solar também aumenta: daqui a 1,1 bilhão de anos, o Sol será 10% mais luminoso, o que causará um aumento de temperatura desastroso para a vida na Terra.
Mesmo com o aumento de sua luminosidade, a fusão de hidrogênio ainda continuará por 5 bilhões de anos. O Sol encontra-se hoje no meio de sua vida (sequência principal). Quando o hidrogênio finalmente esgotar, nossa estrela iniciará uma luta desesperada para preservar sua existência, fundindo primeiro hélio em carbono e depois carbono em oxigênio.
Como esses núcleos têm ainda mais prótons, e portanto sofrem maior repulsão elétrica, serão necessários temperaturas e pressões ainda mais altas para sua fusão (por exemplo, a fusão do hélio em carbono só ocorrerá quando a temperatura do interior do Sol atingir a 100 milhões de graus!). Esse aumento de temperatura terá repercussões dramáticas para a estrela. Como os gases aquecidos tendem a se expandir, a estrela inflará, crescendo a até cem vezes o seu tamanho atual. Mercúrio será engolido e 30% de sua matéria será ejetada no espaço interplanetário. O Sol perderá gravidade, e a rotação dos planetas ficará desrregulada, fazendo com que Vênus passe para a órbita da Terra, a Terra para a órbita de Marte, e assim sucessivamente. Os oceanos do nosso planeta irão evaporar completamente, o calor será tão intenso que não será possível sobreviver nenhuma forma de vida.
A saga continua. A pressão no centro continuará crescendo. Quando a temperatura de seu interior chegar a 300 milhões de graus, o Sol passará por outra transformação. Agora, seu coração se transformará em uma anã branca, formadas por prótons e elétrons a densidades imensas: uma colher de sopa dessa matéria pesaria aqui na Terra por volta de 1 tonelada.
A energia liberada por essa última transformação viajará até a superfície do Sol com força explosiva, expelindo suas camadas mais externas para o espaço interplanetário a velocidades de dezenas de quilômetros por segundo.
Assim, o grande Sol, que um dia já chamamos de "astro-rei", será apenas uma anã branca, sem brilho e com uma nuvem de poeira em volta, que os astrônomos chamam de "nebulosa planetária", que espalha hidrogênio, hélio, carbono e um pouco de oxigênio pelo espaço.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

''This is Halloween'' no Cosmos




















Se assustou ? Esta imagem é digna de um Halloween. Não, mas eu não coloquei esta foto pra assustar. O que vemos é uma imagem em raios-x do aglomerado de galáxias Perseus, obtida pelo Observatório Chandra, na NASA.
Situado a 300 milhões de anos-luz de distância, esse aglomerado contém milhares de galáxias, embora nenhuma delas seja visível nesta foto.
Em vez disso, o Chandra visualizou a enorme nuvem de gás quente que permeia todo o aglomerado e que emite radiação altamente energética.
Neste caso, a imagem resulta numa sugestiva figura assustadora.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Buracos Negros

Buracos negros são resultado da explosão de uma estrela supergigante (uma estrela 10 vezes mais massiva que o Sol).

A explosão deixa um resíduo compacto demais até para uma estrela. Quando isso acontece, a estrela desaparece completamente, transformando-se em um buraco negro.

O núcleo fica tão comprimido nesse espaço diminuto que a força da gravidade tranca tudo á sua volta, impedindo até a luz de escapar.

Os buracos negros não podem ser vistos, mas sua presença pode ser detectada porque eles engolem a matéria circundante. A matéria forma espirais em torno do buraco negro, criando um disco tão quente que emite raios-X, que podem ser detectados por sondas espaciais.

A medida que se aproxima de um buraco negro, começa a sentir que a força da gravidade vai ficando maior. Quanto mais se aproximar, tanto maior será a velocidade que irá precisar para escapar de suas garras poderosas.

Se você fizesse a bobagem de entrar na barreira escura conhecida como "horizonte de evento", nunca mais sairia dali. E se você fosse realmente temerário e se aventurasse em qualquer ponto perto do centro, seria sugado do mundo dos vivos!



(Astronomia, O estudo do Universo, pág. 24)















Concepção artística retratando um buraco negro
distorcendo o espaço ao redor.

"Vida fora da Terra: Possível ?" - 03/03/10

Todos sabemos desse mistério que nos rodeia. Existe ou não vida fora da Terra ?
Claro que seria muito egoísmo de nossa parte pensar que estamos sós neste Universo enorme. Nossa galáxia, a Via Láctea, possui, mais ou menos, 200 bilhões de estrelas (algumas estimativas colocam esse número em dobro).
Imaginem o Universo ? Possui um tamanho de 50.000 anos-luz, onde obviamente existem muitos milhões de galáxias e bilhões de sistemas solares.
Por que não um planeta como o nosso ?
E os supostos "discos-voadores" que nos visitam ?
Por que os planetas encontrados são apenas gigantes gasosos como Júpiter ?
Algumas explicações para isso dia 03/03/10.
:D

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Eclipse em Saturno


























Esta é uma bela imagem capturada pela sonda Cassini. Um eclipse completo causado por Saturno. A Terra é difícil de observar: está mais ou menos acima, à esquerda, dentro do segundo maior anel.
A sonda Cassini-Huygens é uma missão conjunta da NASA e da Agência Espacial Européia. Atualmente está focada em duas luas intrigantes de Saturno: Titã e Encélado.

Pôr do Sol em Marte



















Pôr do Sol é um momento mágico, seja aqui ou em Marte.
Durante a sua missão, o robô Spirit registrou um momento de rara beleza - o pôr do Sol no planeta Marte, captado a partir da cratera Gusev.
É curioso verificar que o Sol em Marte parece dois terços menor, já que, em relação à Terra, o planeta vermelho encontra-se mais afastado do "astro-rei".
O pôr do Sol e as imagens da alvorada normalmente são utilizadas pelos cientistas para determinar características específicas da atmosfera marciana (é possível analisar a formação de nuvens de poeira, por exemplo).

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Vídeo

Trouxe este vídeo de uma simulação de um asteróide de 500 km chocando-se contra a Terra. Impressionante!


Fatos Curiosos

Alguns fatos interessantes.

1. A velocidade da luz, geralmente arredondada em 300.000 km/s, é de exatamente 299.792,548km/s.

2. São necessários 8 minutos e 17 segundos para a luz viajar da superfície do Sol à Terra.

3. A Terra gira à 1.600 km/h, mas viaja em sua órbita ao redor do Sol a mais de 107.000 km/h.

4. Se você conseguisse dirigir seu carro na vertical, direto para cima, levaria apenas 1 hora para chegar ao espaço (algo em torno de 65 km).

5. A Terra tem 4,56 bilhões de anos, a mesma idade da Lua e do Sol.

6. Se o Sol tivesse apenas 1 centímetro de diâmetro, a estrela mais próxima dele estaria à 285 quilômetros de distância.

7. Astronautas não conseguem arrotar quando no espaço – não existe gravidade para separar o líquido dos gasosos em seus estômagos.

8. 1/1.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000 de segundos antes do Big Bang, o Universo era do tamanho de uma ervilha.

9. O termômetro foi inventado em 1607 por Galileu Galilei.

10. Dentro de 5 bilhões de anos, o Sol ficará sem energia e se transformará em uma “gigante vermelha”.

11. O Universo contém mais de 10 bilhões de galáxias.

12. Cerca de 1 quatrilhão de neutrinos do Sol passava pelo seu corpo enquanto você lia esta frase.

13. A cada hora, o Universo se expande 1,6 bilhões de quilômetros (1 bilhão de quilômetros em cada direção).

14. Parte da interferência da sua TV se deve as ondas do Big Bang que gerou o Universo.

15. Mesmo viajando à velocidade da luz, seriam necessários 2 milhões de anos para ir da Terra até a galáxia mais próxima, Andrômeda.

16. Um dedal de neutros de uma estrela pesa mais de 100 milhões de toneladas.

17. Daqui a 2,9 bilhões de anos, as galáxias Via Láctea e Andrômeda irão se chocar uma contra a outra.

Avalanche no planeta vermelho

Uma nave espacial da NASA (Mars Reconnaissance Orbiter) captou pela primeira vez uma avalanche gerada junto ao Pólo Norte de Marte. É possível identificar na imagem uma nuvem de poeira e gelo. Esta imagem foi captada dia 19 de fevereiro de 2008.
Esta é mais uma evidência de que Marte é um planeta dinâmico, apesar de sua superfície estar fossilizada há muitos milhões de anos. Só falta agora encontrar marcianos soterrados pelo avalanche!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Blog novo

Oi pessoal, estou criando este blog para falar mais sobre o Universo. Ainda está em reforma. Abraços.